Juntos pela Saúde | Bradesco Seguros

Como escolher um esporte

Esportes são uma boa forma de manter-se ativo. Veja dicas de como selecionar o melhor para você.

A escolha do esporte ideal

Praticar atividades físicas regularmente pode não ser algo fácil de manter, mas é um dos remédios mais eficazes para manutenção da saúde e para a prevenção de doenças. Tanto que a OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda que pessoas em idade adulta façam duas horas e meia de esforço moderado por semana ou uma hora e quinze de atividade intensa no mesmo período. Para isso acontecer, que tal escolher um esporte para chamar de seu?

 

O esporte é uma das maneiras mais efetivas para fazer dessa dose semanal de atividade física um hábito frequente. Há inúmeras opções de modalidades, para qualquer idade e biótipo, todas com benefícios físicos, psíquicos e sociais para seus praticantes.

 

Ter um esporte – ou mais – na rotina ajuda a controlar o estresse, fortalece a musculatura e os ossos, melhora o condicionamento cardiovascular e regula alguns fatores de risco (hipertensão, sedentarismo, obesidade) associados a doenças cardíacas e neurológicas, diabetes, osteoporose, câncer, etc. Além disso, praticar esportes contribui para o crescimento sadio de crianças e adolescentes – com desdobramentos importantes para o desenvolvimento motor e social –, bem como para a longevidade de adultos e idosos.

 

Além das vantagens para a saúde, há benefícios para a sociedade quando as pessoas praticam esportes regularmente. De acordo com o estudo "Benefits of Outdoor Sports for Society", (Benefícios dos esportes ar livre para a sociedade, em tradução livre), conduzido por pesquisadores alemães, britânicos e espanhóis, comunidades em que o esporte está mais disseminado apresentam menores taxas de criminalidade, de consumo de drogas ilícitas, de vandalismo e de gastos com a saúde pública.

Ok. Se malhar, correr, jogar, enfim, se mexer, é tão bom assim para tanta gente, como escolher um esporte (ou mais de um) para mim?

 

São vários fatores para considerar: idade, biótipo, índice de massa corporal, nível de sedentarismo e por aí vai. Mas para o médico do esporte Álvaro Motta Cardoso Júnior, "o primeiro critério deve ser encontrar prazer na atividade escolhida. As pessoas costumam escolher a atividade pensando em melhorar o condicionamento físico ou a estética e se esquecem de que podem se divertir fazendo esporte. Isso é fundamental para que a pessoa tenha motivação em fazer atividade física com frequência".

 

 

"O primeiro critério deve ser encontrar prazer na atividade escolhida."

Álvaro Motta Cardoso Júnior

Na escolha do seu esporte favorito, a disponibilidade de outras pessoas pode ser um fator importante: atividades coletivas podem ser mais difíceis de praticar por necessitarem de mais gente envolvida. Para facilitar a sua escolha, montamos a seguir um "caminho das pedras" recomendando atividades que mais combinam com as necessidades e as características de cada faixa etária.

 

É muito importante, em primeiro lugar, consultar um médico do esporte ou um ortopedista para ter uma orientação adequada para tomar a melhor decisão. Boa sorte na escolha e sucesso nos treinos!

 

 

Para crianças

 

Nessa fase, o esporte precisa ser divertido; ser mais brincadeira do que competição e até do que obrigação para manter a saúde. A natação é uma opção interessante porque é multifuncional: fortalece a musculatura, estimula o desenvolvimento neuromotor, expande a capacidade cardiovascular e, para a alegria de muitos pais, alivia problemas respiratórios. Mas vale basicamente qualquer modalidade para a qual a criança demonstra interesse e cuja prática seja acessível: de escalada a equitação, de pedalada a bodyboarding.

 

A escolha do esporte ideal
A escolha do esporte ideal

Para adolescentes

 

A diversão continua sendo prioridade e o leque se amplia: esportes coletivos (futebol, vôlei, basquete, handebol, etc.), artes marciais, dança e corrida são atividades que beneficiam não só a saúde física, mas a saúde social dos quase-adultos. Ah, e atenção: musculação não é recomendável até que os adolescentes passem pela fase de crescimento, embora alguns especialistas façam a ressalva de que a prática pode ser estabelecida desde que com autorização e acompanhamento médico.

 

Para adultos

Musculação já está liberada e passa a ser cada vez mais importante conforme o tempo passa. É que, com o avanço da idade, a perda de massa muscular acelera e uma das maneiras mais eficazes de manter a musculatura que sustenta o corpo funcionando bem é levantando peso. Com a vida mais cheia de compromissos, talvez seja difícil combinar com uma turma e se engajar para esportes coletivos. Se esse for o caso, dá para investir em modalidades como ciclismo e corrida de rua, que você pode até praticar e competir com mais gente, mas não depende de ninguém para manter uma rotina de treinos. Para o caso dos corredores, há o benefício social de poder combinar viagens para disputar provas em outras cidades e países aliando os prazeres do esporte aos do turismo.

 

A escolha do esporte ideal
A escolha do esporte ideal

Para idosos

Nessa fase da vida, além de intensificar a musculação para manter a massa magra em dia, é recomendável voltar para a piscina. Natação e hidroginástica melhoram a capacidade respiratória sem desgastar as articulações. Atividades com impacto, porém, não devem ser descartadas. Corridas leves ou caminhadas vigorosas são bons exercícios para fortalecer os ossos – é que o impacto moderado cria microlesões ósseas que o próprio organismo regenera, fortalecendo o esqueleto como um todo. É recomendado evitar, contudo, esportes que exijam mudanças bruscas de direção ou saltos, que podem machucar as articulações, além de ocasionar quedas e fraturas.

 

Tags:
    Compartilhe:

    Conteúdo Relacionado

    MATÉRIAS

    Com que frequência devo fazer um check-up?

    Especialistas falam do intervalo entre os exames e quais os mais indicados

    SERVIÇOS

    Educação em Saúde

    Material com temas relacionados à saúde.

    SERVIÇOS

    Ortopedia em Foco

    Acompanhamento médico na especialidade de ortopedia

    Complementary Content
    ${loading}