Atendimento Previdência Privada

De Segunda a Sexta, das 07h30 às 19h30

Dúvidas Frequentes

    Básico

      Previdência Complementar Fechada - Não está disponível para todas as pessoas. O acesso ao plano está condicionado ao vínculo com uma empresa ou associação. Nesse caso, as empresas costumam pagar as contribuições ou parte delas para o plano.
       Previdência Complementar Aberta - Disponível para todas as pessoas. Sua principal característica é a contribuição que parte da iniciativa própria do participante, com maior liberdade de escolha e adequação às necessidades individuais. Basta contratar e contribuir ao plano de seu interesse, da forma mais conveniente.

       Há muitas diferenças, a começar pela responsabilidade. Na Previdência Social, a administração do dinheiro é feita pelo Governo, por meio do INSS – Instituto Nacional do Seguro Social. Na Previdência Privada, essa responsabilidade é das empresas seguradoras ou dos bancos.

       O aporte é uma aplicação adicional que o participante pode fazer ao seu plano, a qualquer momento, com o objetivo de aumentar o valor da renda mensal ou do resgate (benefício estimado). Também pode ser realizado com o objetivo de abreviar o prazo de contribuição, quando possível, mas sem reduzir o benefício estimado.

    Investimento

      A diferença entre eles está no tratamento tributário. Os valores aplicados em planos PGBL podem ser deduzidos do imposto de renda (no modelo de declaração completa) até o limite de 12% da sua renda bruta anual. O imposto de renda só será pago no futuro, quando houver resgate, e incide sobre o montante total investido.
      Os investimentos em VGBL não contam com este benefício fiscal. Por isso, são mais indicados para participantes que façam a declaração de IR simplificada (e também para empreendedores, autônomos ou isentos de IR). No momento do resgate de um plano VGBL, o imposto de renda incide apenas sobre os rendimentos (e não sobre o total acumulado). Apesar das diferenças, PGBL e VGBL podem se complementar.

      Os recursos são aplicados em Renda Fixa e Renda Variável, em proporções que variam de plano para plano e que, em muitos casos, podem ser determinadas pelo participante, de acordo com seus objetivos e necessidades.

      É o termo utilizado para definir investimentos com condições pré-estabelecidas. Ou seja, prazos e condições de remuneração já são determinados no momento da aplicação. São títulos públicos (emitidos pelo Governo) ou privados (emitidos por empresas), considerados mais seguros e indicados para pessoas que desejam correr menos riscos.

      É o termo utilizado para definir investimentos cuja rentabilidade não é pré-determinada. O instrumento mais conhecido são as ações negociadas em bolsa de valores, mas também estão nessa lista fundos de investimento em renda variável e commodities (ouro, moedas estrangeiras, entre outros). Mais arriscados, são títulos com maior potencial de retorno (embora sem garantia) e mais indicados para investidores de longo prazo.

    Saiba mais

    • Previdência Privada

      A previdência é um meio de acumulação de recursos para complementar com tranquilidade sua aposentadoria.